Tamanho do texto
Imprimir página
Print This Page
Envíe la página por email
Email This Page

BrasilSPAN

Com as maiores descobertas de campos petrolíferos do mundo dos últimos 20 anos encontrados ao longo da costa do Brasil, não é de se surpreender que haja um interesse significativo nesta bacias da orla marítima.

BrasilSPAN é um conjunto de dados sísmicos e estudo geológico regional com migração em profundidade pré-empilhamento, de múltiplas facetas. Com a última expansão adicionada ao início do ano 2012, o programa agora contém mais de 50.000 quilômetros e fornece para a indústria de gás e petróleo o primeiro conjunto de dados contíguo do litoral brasileiro. Proporciona um entendimento mais completo da geologia regional da Margem Atlântica da América do Sul, e fornece informações pertinentes relacionadas aos possíveis análogos de Lula (antes conhecido como o campo Tupi) nos sistemas petrolíferos na zona marítima da África Ocidental.

As Três Fases do BrasilSPAN

  • Fase I: Estudo do Sal BrasilSPAN – 14.000 quilômetros de imageamento de dados das bacias de Campos, Santos e Espírito Santos do centro do Brasil – processadas com tecnologia RTM da GXT
  • Fase II: BrasilSPAN Pelotas – 11.000 quilômetros de imageamento de dados das bacias do Sul de Santos e Pelotas ao longo da costa do Brasil
  • Fase III: BrasilSPAN Grande – 25.000 quilômetros de imageamento de dados das margens nordeste e equatorial do Brasil desde Espírito Santos até a fronteira do Brasil com a Guiana Francesa

Objetivos do Programa

  • Fornece um arcabouço regional em profundidade para entender melhor a arquitetura tectônica e a estrutura do embasamento da região
  • Construção de "ajustes" paleo-tectônicos com regiões correspondentes na África através de conjuntos de dados AfricaSPAN da ION, abrangendo desde Angola até Nigéria
  • Desenvolver um modelo para o potencial de hidrocarbonetos de fragamentos continentais riftados através das províncias em águas  profundas do Brasil  e usar este relacionamento para construir melhores modelos externos além das descobertas Lula e Júpiter
  • Desenvolver novos ambientes baseados em sistemas petrolíferos provados e novos
  • Fornecer interpretação completa que inclui mapas dos sistemas petrolíferos ativos da área
  • Promover melhor entendimento do desenvolvimento do delta Amazônico e o potencial para novo petróleo